sexta-feira, 21 de novembro de 2014

O Capeta Acha o Inferno Fresco


É que o capeta acha o inferno fresco. Mas sempre termina queimado.
Um demônio para ser demônio deve por natureza adorar o inferno.
Os demônios em geral se acham muito espertos.
Quando digo demônios, não me refiro aqui a caricaturas religiosas claro.

Mulheres em geral são parecidas com demônios, se não já o representam. Haha.
Um dos símbolos da psicologia é o tridente do diabo.
Que simboliza o interior. O subjetivo.

Assim, como as mulheres, que em geral são mais voltadas para o mundo interior e sentimental.

Muitas usam disto para controlar os homens etc.

Ao passo, que antes víamos mais freqüentemente o domínio das mulheres pelos homens por meio da força física e intelecto. Hoje as mulheres estão se achando muito espertas. Mas acabam por cometerem o mesmo erro de antes: A aposta no controle do outro por intermédio da força.

Se os homens usavam da força física, elas usam da força psíquica.

Cartilhas comportamentais surgem etc. Coisas como a psicologia comportamental crescem e ganham espaço.

A mulher se esforça para impor seus valores aos homem.

E porque digo: “terminam queimadas”...
É que terminam por se verem insatisfeitas com o seu próprio mundo.
Na realidade elas gostam de serem um pouco dominadas. Precisam, assim como os homens, verem o mundo como ele é: Nem tão afeminado, nem tão machista.
Muitas esquecem disto em nome da cartilha.

Seria um efeito bambu.
Primeiro exacerba-se para um extremo, depois volta-se para um lugar mais calmo, o meio.


Eu como homem aguardo ansioso.


                  Rodrigo Jorge Bucker - Niterói - 2014

sábado, 15 de novembro de 2014

Mestre Buda e Eu


Estávamos caminhando por um grande deserto.

De repente e inesperadamente, começou uma grande tempestade de granizo.

Era um terreno descampado e estávamos a pé.

- Mestre Buda o que faremos? perguntei...
- Ora, senta na minha cabeça e reza. Disse Buda.
- Mas mestre... Como assim?
- Há verdades que por mais duras que sejam devemos ignorar gafanhoto. Sente aí! Mooorre! E fica quieto.

A minha sorte é que passava um rapaz por ali vendendo um guarda chuva de R$ 5,00 que me salvou a vida.



                       Rodrigo Jorge Bucker – Niterói 2014

domingo, 9 de novembro de 2014