quinta-feira, 15 de agosto de 2013

A Minha Dama – Alberto Carreteiro


Eu a pago sem drama.
A minha dama eu levo pra cama.
Ela nem liga se eu roncar de pijama.
Essa é a minha dama.
Sacana...
A dama de camisola e sem fama.

Espartilho com brilho.
Tudo em sigilo.
Babo no seu umbigo.
Beijo sua axila.
Lambo sua orelha.

Sem preconceito.
Essa é a minha dama e seu jeito.
E eu,
apenas seu mero sujeito.
Deixo-me manipular...
Não tem jeito.
Para o que não tem remédio,
o remediado sexo é seu lugar.



                       Alberto Carreteiro – Niterói 2013

A Palhaçada

                        
Parece uma piada, mas é verdade.

Os falsos nobres e suas emboscadas.

Aprumadas, engomadas e falsificadas.

São os verdadeiros culpados.

Mas como bons covardes,

Sempre culpam os pobres.

O problema principal do pobre, é que como condição de servo,

Ele acaba fazendo o que os falsos nobres mandam.

Muitas vezes,

Ficando contra outro deles.


                    Escravo Isauro – Senzala – Niterói 2013

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Qual o Seu Crime Meu Filho?


No dia do julgamento final, eu um mero humano, fui sem muitas pretensões...

Então diante de Deus, eu, com a minha cara meio de paisagem fiquei...

_ “Qual o seu crime meu filho?”, perguntou Deus.

E eu respondi: Eu cometi um erro muito grave senhor. Creio ter cometido um dos piores crimes que pode existir.

Então Deus, todo poderoso, colocou a mão levemente no queixo e fez: “Hummm”.

E novamente perguntou: - Qual?

Eu já meio exausto de apanhar, falei baixinho: É que eu escrevo.

Deus: - Como!?

Eu: - Eu sou escritor.

Deus: - Meu Deus! Digo, caramba! Afinal eu sou o próprio Deus.

Eu: - Então senhor, é muito grave isso?

Deus: - Sim foi um erro gravíssimo!

Eu: - Fudeu...

Deus: - Não! Não! O erro foi todo meu.

Eu: - Como!?

Deus: - Te coloquei no país errado! Me desculpe. Agora você vai ter que reencarnar. Escolhe um país aí...

Eu: - Ok. Serve o Brasil!?

Deus: - Mas foi de lá que tu veio homem!

Eu: - É que o senhor pode ter errado nisso. Mas acertou em cheio no quesito teimosia! Quero ajudar a educar este povo maravilhoso! Obrigado Deus.

Deus: - Que seja feita a sua vontade! Paz na terra e glória nos céus aos homens de boa vontade.


                        Rodrigo Jorge Bucker – Niterói 2013

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

O Rico Tem Desejo


O rico tem desejo.
O pobre tem fome.
A classe média tem o que come.

Mas se o rico tem desejo,
E a classe média tem o que come...
Pobre daquele homem!



                       Rodrigo Jorge Bucker – Niterói 2013

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Castelo de Cartas


Eles vivem erguendo-os.
Os burgueses e seus apelos.
O sonho burguês surreal.
Fomentam a fome e o mal.
Descomunal.

Os castelos de cartas são sustentados pela aparência e vaidade.
São as aparências de muitos falsos nobres.
Existem verdadeiros “reis” por aí bem mais pobres.
Moram em casas simples.
Passam fome e dificuldades.
Mas não se vendem à vaidade.

Os falsos nobres fazem de tudo para sustentar está desgraça.
Sabem no fundo que seus falsos castelos não passam de farsa.
Sabem que ao menor vento da verdade tudo vira fumaça.
Trapaça...

Fomentam a dor e a falta de cobertor.

O verdadeiro frio está dentro de suas almas.

Gelados...
Seres petrificados.
Mal acabados.
Por Deus são meio renegados.

Quando a dor da consciência lhes vem.
Pensam ser a hora de comprar mais alguém.
Acabam por não serem mais ninguém.

O pobre que é “comprado”,
é apenas alguém que teve antes tudo roubado.
Logo, sempre são os falsos nobres os culpados.

O vento sopra...
É hora do falso castelo ir pelos ares.
O mundo é de todos.
Todos devem ter seus lares;
Passear nos lugares;
Ter os seus pares.
A resistência está aí.
Obrigado.


                       Rodrigo Jorge Bucker – Niterói 2013

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Soluções do Brasil


Em geral as pessoas não sabem ou não associam.

Mas a solução de nossos problemas, até mesmo na saúde, estão intimamente ligados ao problema do transporte.

Um trabalhador que se cansa e estressa, mais nos engarrafamentos e devido as péssimas condições dos meios de transportes, do que no seu trabalho propriamente dito, é um dado gritante que denota um país literalmente parado.

O cara literalmente acaba indo para o trabalho descansar. Chega no trabalho já exausto.

Aumentam-se aí os acidentes de trabalho, erros médicos etc.

Um país que não cuida dos seus transportes é um organismo que não cuida de suas artérias. E acaba doente.

É um tremendo equívoco culparmos sempre os cidadãos (células), de tudo que está errado no nosso país.

É o mesmo que exigirmos que nossos músculos consigam trabalhar sem oxigênio.

Por isso fico pasmo com políticas comportamentais e nada sociais e econômicas.

A política deve, antes de tudo, cuidar apenas do que deve.

Social, educação, saúde, meio ambiente, economia e transporte.

O restante melhora junto.

O comportamento de uma pessoa não é algo adestrado.

É algo educado.

Uma sociedade educada tende a se comportar realmente melhor. E isso, no sentido adequado da palavra. Se comportar bem é: não fazer mal ao próximo e respeitar as leis. Não tem nada haver com ditadura comportamental surreal.



                       Rodrigo Jorge Bucker – Niterói 2013

Tiririca é o Cara


Ninguém melhor do que um palhaço para entender está palhaçada toda.

Tirando o cara mais sério atualmente lá de Brasília, que é o Tiririca. Podemos salvar somente alguns mais.

É realmente uma palhaçada nacional.


Um hospício federal. 
Chamado Brasília, 
a nossa capital.