sexta-feira, 12 de abril de 2013

A Gaivota Voa



Voa gaivota...
Voe para longe daqui.

Voe para longe do homem que quer te ferir.
Voa pra longe do homem,
que sonha compreender a si e a ti,
numa ilusão sem fim.

Voa...
Pois muito ao contrário, tu não voas só pra caçar, procriar
ou algum instinto buscar.
Tu voas pra planar, passear, brincar e saborear a vida.
Voa bem alto e salve-se daquele que se julga melhor que você.
Sorria e goze.
Goze também daquele que te enjaula, 
mas nunca pode lhe prender ou realmente tocar.

Enfim, morra.
Pois merece um dia não mais viver.


                      Rodrigo Jorge Bucker – Curitiba 2013