quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Espelhos Tortos

Muita gente precisando urgentemente de novos espelhos.

A minha gente viciou-se em reflexos tortos e ofuscados.

Pessoas, não raramente, por não mudarem,
não aceitam a mudança alheia.

Todo ser muda mais que qualquer espelho.
Nisso não é difícil crer.
Mas então, é só isso.
Muita gente não se reconhece mais,
do ponto em que pararam lá atrás.

Na verdade, nem mesmo o ponto existe mais.
Mas tanto faz.
O espelho torto tem que mudar,
se novamente quiserem sonhar.

Pois acertar as curvas do espelho é possível.
Mas jamais,
podemos no tempo voltar atrás.


                      Rodrigo Jorge Bucker - Niterói 2012

Vaidade pela Humildade

Ando na minha cidade e tenho vaidade.

Mas vejo o equívoco aparecer diante de todo amanhecer.

Mulheres belas, 
de belas pernas,
na vida e na novela,
na cobertura ou na favela,
que enganosamente contemplam mais a bolsa e sua cor,
do que toda beleza natural e seu louvor.

Admiro mulheres bem vestidas e educadas.
Mas jamais as com falsidade arrumada e aplumada.
Seria a evolução da "perua" para a "perua-camaleoa".
Cada hora com uma bolsa diferente e de cor alternada.
Disfarçada.
No fundo,
no fundo: Uma linda carente arrumada.

É assim mesmo que funciona agente.
Eu mesmo critico, 
mas por outrora admiro a mesma gente.

Carente, que seja.
Ainda bem,
pois se o não?
Quem iria me pedir abrigo e paixão?
Amor e tesão?


Rodrigo Jorge Bucker - Niterói 2012

1 + 1 nunca é igual a 2

Tenho um lápis na mão e outro no bolso.
Logo, logo me vêm o equívoco de crer que tenho dois então.

To maluco!?
não.

Se eu caio no chão,
e depois meu caro amigo também,
então sou eu e ele ao chão.
Veja bem: "EU" e "ELE",
Logo: "EU" nunca é igual a "ELE".
Então, 
então...
alguém pode dizer: "Dois homens ao chão! Help!".
Mas quem tem razão?
Afinal, 
são dois? ou "EU" e "ELE", o meu irmão?

Assim como nunca coexistem dois grãos de areia iguais,
nunca esqueça meu rapaz,
que juntos ou sós, 
"EU" e "ELE",
sempre perto de dois, somos um infinito de mais.

                           
                         Rodrigo Jorge Bucker - Niterói 2012

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Aparência X Fatos

Aquele que julga pela aparência,
deveria se ater aos fatos.

Há tanta vadia na nobre,
quanto nobre na vadia.
Basta notar a vida e o passar do dia.

Ninguém pode ver o interior,
mas a estampa na calça sim.
Logo, todo mal entendido se espera,
na vida aqui na terra.

O mal entendido não é ruim, faz parte 
da vida e sua arte.

Apenas o Homem deve logo aprender, 
que nem todo dia é amanhecer.
E que nem toda noite é escurecer.
Muito menos se tratando da alma, ou mente,
de quem vai isso ver.

Existem muitas mulheres frágeis que fazem o mal, 
de forma pior e covarde.
Ao passo que há homens truculentos cheios de bem 
e bom talento.

Por detrás do barbudo pode haver
o bom e raçudo.

Por detrás da ovelha, 
pode haver,
o lobo que te espreita.

Assim é a vida.
Aja paciência para quem julga 
pela aparência.

Por isso aprenda logo,
logo que puder,
entenda, que a aparência,
as aparências,
são somente a ilusão dos fatos e vidências.


                      Rodrigo Jorge Bucker - Niterói 2012